AltoQi

Atualização da norma de pré-moldado – Parte 2 (Release 2)

Escrito em 22 de fev de 2018 por: , na categoria: Melhorias em recursos, Release 2

Continuando com as implementações das modificações realizadas na NBR 9062:2017 – Projeto e execução de estruturas de concreto armado, referentes aos critérios de cálculo existentes no programa, segue a lista com os itens que foram alterados no Eberick e estarão disponíveis no Release 2:

.

1. Ajustes no dimensionamento de consolos

As alterações da norma implicaram basicamente na alteração de 3 itens referentes ao dimensionamento dos consolos:

.

1.1. Ajustes nos afastamentos (item 7.3.3.4 d)

Para a alça vertical, o cálculo da distância da face externa da almofada de apoio à face externa do consolo (a2 ) sofreu a seguinte modificação:

Cálculo anterior (NBR 9062:2006):

a2 = c + 3,5 Ø + 2 cm, sendo:

  • c = cobrimento de armadura do pilar pré-moldado;
  • Ø = maior bitola configurada para o dimensionamento de consolos (Configurações – Materiais e durabilidade – Bitolas dos consolos).

Cálculo atualizado (NBR 9062:2017):

a2 = c + 4 Ø

Destacamos que o afastamento à face externa da viga (ac) é um dos parâmetros para posicionamento do aparelho de apoio. Este valor afeta diretamente o dimensionamento do consolo, do aparelho de apoio, da largura de apoio e dos pinos de ancoragem.

.

1.2. Estribos horizontais (itens 7.3.6 d e 7.3.3.13)

Segundo o item  item 7.3.6 d da nova versão da norma, será necessário calcular uma nova armadura mínima de costura e cisalhamento como sendo:

As cost min = 0,15 * bc  ( em cm²/m ), sendo:

  • bc = largura do consolo (em cm) ou largura da viga, no caso de dente gerber.

Além disso, a nova norma recomenda também, no item 7.3.3.13, uma alteração na obtenção do espaçamento máximo dos estribos horizontais, conforme segue abaixo:

Figura 1 – Espaçamento máximo dos estribos horizontais antes e depois da atualização da norma

 .

1.3. Estribos verticais (item 7.3.7.2)

De acordo com a norma anterior, nos consolos sujeitos a cargas diretas com a/d ≤1 os estribos verticais não eram obrigatórios, sendo incluídos somente quando construtivamente necessários, a partir das taxas mínimas da NBR 61618:2014 para vigas da mesma largura b e altura igual à do consolo no engastamento.

Agora, segundo o item 7.3.7.2 os estribos são construtivamente necessários e devem ter taxa mínima de 0,15% * bw * h, sendo bw = largura do consolo e h = altura do consolo na seção de engastamento.

Com esta alteração, foi excluída do programa a configuração “Adotar estribo vertical” (acessada em “Configurações – Dimensionamento – Pilares PM”), uma vez que a inclusão desta armadura não é mais opcional.

.

2. Verificação da tensão da armadura longitudinal do pilar pré-moldado durante o transporte e içamento (item 5.3.2.2)

Até a versão anterior da norma, não havia limitações em relação à tensão da armadura longitudinal do elemento utilizada nas verificações das etapas construtivas, sendo adotada pelo programa a resistência de cálculo do aço (fyd). A partir da atualização de 2017, esta tensão foi limitada a 0,5 fyk para as etapas de transporte e içamento, o que poderá gerar diferenças nas verificações destas etapas.

Se você gostou do conteúdo acima leia também

Comentários

8 respostas para “Atualização da norma de pré-moldado – Parte 2 (Release 2)”

  1. CIRILO DE ALEXANDRIA ALMEIDA JR. disse:

    Eu trabalho com o Pre-moldado, espero que tenha melhorado agora com norma nova… pois uma coisa que eu verifiquei desde do inicio da implementação desse software é, que se torna praticamente impossível fazer com que os pinos e os aparelhos dos consolos passem por menor que seja os esforços. Não consigo enter isso! Já tentei de varias formas e quando passa, passa com 4 pinos o que se torna inexequível praticamente em consolos pequenos. Gostaria de saber se não tem como jogar essa responsabilidade pra nós calculistas decidir quantos pinos e a forma de vincular a peça, e detalhar com aviso para gente adotar a solução adequado no projeto e na obra posteriormente? Parafusando, soldando insertos metálicos entre outro. Pois em obras grandes e pesadas eu tenho que fazer tudo na mão praticamente.
    Outro comando que seria util aproveitando, é um comando para arrancar todos os consolos de uma vez, economizaria um tempo considerável de trabalho em muitos projetos.
    De resto está ótimo. Obrigado!

  2. Engº Ronaldo Parisenti disse:

    Boa tarde Cirilo,
    Logo após o lançamento da versão Pré-Moldada, foram incluídos algumas opções/configurações de dimensionamento de pilares pré-moldados que permitem dispensar algumas verificações relacionadas aos pinos e aparelhos de apoio (não vou precisar a data destas melhorias, contudo a versão atual já contém isso). Assim, agora o programa detalha o pilar mesmo que tenha erro nos pinos, porém, incluir uma informação deste problema no desenho (“circulo” informando “Pino não detalhado”)

    Em uma primeira avaliação que fizemos desta nova norma observamos que alguns itens resultaram em mais armadura e outros menos. Segue exemplos de uma avaliação preliminar (que devem ser confirmados ao longo do projeto e também como uso do Eberick no projetos): O deslizamento do aparelho de apoio, a princípio, ficou menos rigoroso. Os pinos, a princípio ficou menos rígido as posições geométricas porém, aplica-se coeficientes de segurança adicionais. A armadura de costura mínima do consolo aumentou, o que pode resultar em aumento ou não no cálculo final.

  3. CIRILO DE ALEXANDRIA ALMEIDA JR. disse:

    Obrigado pelo retorno, bom.. até sei disso, mas ele não coloca o pino, coloca um aviso, que tenho que tirar um por um e desenhar os pinos. Digo um comando simples assim, quero 2 pinos de 12.5mm nesse consolo, por exemplo, definido por mim, aparelho tal, e o programa detalha tudo em vista e corte do jeito que eu quero, entende?
    Quanto ao comando para retirar os consolos, será que tem como? Parece simples para vcs. isso.

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Cirilo,
      Entendi. Atualmente não há como impor quantidade certa de pinos (há como impor o mínimo). Também não há remover todos os consolos em uma única operação (apenas individualmente).
      No momento não temos previsão para passar relativo a estas melhorias. Estamos registrando o pedido para melhor avaliação. Agradecemos o retorno das informações.

  4. RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

    O pré-moldados é até um pacote legal, detalhamento completo, sem frescuras … mas existem duas funcionalides que não limitam sua aplicação à realidade. (1) as lajes alveolares serem obrigatoriamente modeladas para serem apoiadas em consolos de vigas, ou considerar no Eberick ligações semirrígidas entre vigas e pilares pré-moldados com barra passante (2o. estágio de concretagem); deveriam ser também simplesmente apoiadas na face superior da viga, e ponto. Outra (2) é a impossibilidade de apoiar os apoios de viga na cabeça do pilar, e não apenas obrigatoriamente em consolos.

    Poderia haver também (3) uma ferramenta de auxílio ao lançamento de vigas/colunas de pontes rolantes, para facilitar a ediçao dos vínculos e barras rígidas no modelo; hoje é tudo manual. Sem falar no (4) melhor tratamaento da modulação/paginação das lajes alveolares (lançamento e verificação de paines cadastrados, igual como se fossem treliçados, vigotas protendidas) , permitindo identificá-las em planta e emitir lista resumo.

  5. RODRIGO MEDEIROS MAGALHAES disse:

    Resolvi participar desse topico, sei que o assunto não e 100% do tema. Mais acredito que possa colaborar. Tenho a 1 ano o modulo pre moldado e por necessidade comecei utilizar agora. Duas limitações me deixaram muito entristecido com o programa. Primeiro blocos sob 2 ou 3 estacas não podem ter embutimento do pilar, nao entendo porque, se não quiser perder altura do bloco seria apenas implementar o aumento da altura do bloco permitindo assim o dimensionamento do calice como console. Outra coisa que descobri agora, a armadura positiva de vigas pre moldadas tem alguma limitação de comprimento de gancho que o suporte não soube me dizer nao permitindo utilizar a altura da viga como Lb, nao permitindo utilizar bitolas maiores como positiva. Acredito que antes de atualizar a NBR deveria ser melhorado a competitividade de um modulo tão caro com outros como TQS

  6. RODRIGO MEDEIROS MAGALHAES disse:

    Na verdade no meu comentário acima esta entendendo errado a dinamica do programa para calculo de ancoragem de armadura positiva, fica apenas minha duvida e comentário sobre blocos com embutimento para 2 ou 3 estacas

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Bom dia Rodrigo,
      Em relação a seu questionamento: “blocos sob 2 ou 3 estacas não podem ter embutimento do pilar, não entendo porque, se não quiser perder altura do bloco seria apenas implementar o aumento da altura do bloco…”.

      A princípio, este embutimento (ainda que com aumento da altura do bloco) pode exigir revisar o dimensionamento/detalhamento – por exemplo, para tratar a posição dos estribos verticais (preciso revisar material técnico com calma para confirmar e verificar outros ajustes). No Eberick, para blocos com estaca em linha, não se permite embutir o pilar – o cálice fica acima do bloco (sugestão anotada).

Deixe uma resposta