AltoQi

Modelo integrado de análise (lajes+vigas+pilares)

Escrito em 19 de dez de 2017 por: , na categoria: Novos recursos, Release 2

É com satisfação que informamos a implementação do recurso que permite adotar um modelo de análise integrado entre a grelha das lajes e o pórtico formado por vigas e pilares. Em alguns tipos de projeto este modelo pode gerar análises mais refinadas e mais próximas do comportamento real da estrutura.
Neste novo modelo, não existe mais a separação da análise das grelhas das lajes e do pórtico de barras composto por vigas e os pilares, mas sim um modelo único composto tanto pelo pórtico quanto pelas grelhas.

Figura 1 – Modelo integrado de análise

A análise estrutural realizada através do modelo único de lajes, vigas e pilares apresenta diversas diferenças em relação ao modelo até então utilizado no programa, dentre os quais podemos citar resumidamente:

  • Compatibilização e visualização conjunta dos deslocamentos de lajes, vigas e pilares;
  • Possibilidade de considerar a contribuição da laje na rigidez global da estrutura;
  • Consideração da deformação do pilar na análise do pavimento;
  • Possibilidade de inclusão de novos recursos no programa de maneira mais precisa, como por exemplo a consideração de pilares apoiados em lajes e a consideração dos efeitos de temperatura e retração. Este último recurso, inclusive, está em fase de desenvolvimento e será disponibilizado em breve;
  • Maior facilidade de verificação dos resultados da análise global da estrutura, já que agora existe um modelo único de análise;
  • Obtenção dos esforços horizontais de tração e compressão de forma mais adequada (eliminação do diafragma rígido), como no caso, por exemplo, da consideração da variação de temperatura, de elementos inclinados e elementos conectados a estes (mão francesa);
  • Entre outras características.

As análises que já eram realizadas para o modelo anterior do Eberick foram implementadas para o modelo único, tendo sido realizados apenas alguns ajustes em alguns critérios para a adequação ao novo modelo. Além disso, alguns recursos que antes não existiam no programa passaram a estar disponíveis como, por exemplo, o engastamento entre lajes e escadas.
Para utilizar o modelo integrado de análise, basta acessar as configurações de análise e definir este item:

Figura 2 – Configurações de análise

Mesmo com a inclusão do modelo único, a visualização dos esforços nas lajes continua disponível no programa no modelo de grelhas dos pavimentos, acessado na janela de dimensionamento de lajes.

Por fim, é importante comentar que com o novo modelo de análise, o número de equações numéricas a serem resolvidas pelo programa aumentou consideravelmente, o que aumentou o consumo de memória. Contudo, aliado à nova versão 64 bits do Eberick 2018, o uso da memória do computador passou a ser melhor aproveitada. Assim, em projetos de menor porte, não há a necessidade do uso de computadores com especificações especiais, no entanto caso a estrutura analisada seja de grande porte, recomendamos o uso de computadores com maior capacidade de memória RAM e placa de vídeo.

Se você gostou do conteúdo acima leia também

Comentários

22 respostas para “Modelo integrado de análise (lajes+vigas+pilares)”

  1. MADSON ANDRE ESPERANÇA DE FREITAS disse:

    Já que foi mencionado sobre a capacidade dos PC é possível determinar uma configuração mínima para a utilização Modelo integrado de análise. Principalmente no assunto placa de vídeo, acabei de comprar uma máquina nova e procurei uma boa qualificação na placa mãe, processador e memória, mas não tive o mesmo cuidado quanto a placa de vídeo, abaixo descrevo as especificações de minha máquina, se for possível me informe se é suficiente.
    Win 10 64 bits
    proc i7 7700k
    MB Asus Prime Z270 AR
    memória 16 GB Corsair 3000 Mhz
    placa de vídeo Radeon RX 460 – 4 GB – DDR5

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Madson,
      É uma boa configuração de computador, inclusive a placa de vídeo. Deve atender bem.
      A versão do Eberick com este recurso está prevista para ser liberada em fevereiro/2018. (nesta também será possível avaliar melhor o desempenho).

  2. ENGEBIZ ENGENHARIA LTDA disse:

    Muito boa a implementação! Vai se aproximar mais do comportamento real da estrutura.
    Giles

  3. ENGEBIZ ENGENHARIA LTDA disse:

    Isso vai permitir que os desníveis aplicados no pavimento sejam efetivamente incorporados no pórtico espacial?
    Giles

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Giles,
      Os critérios de lançamento de estruturas com desníveis permanecem com os recursos e limitações atuais (ainda não houve mudanças neste sentido embora as possibilidades de incorporar melhorias de análise se ampliem com este modelo).

  4. RODRIGO ROCHA CARVALHO disse:

    Muito bom o recurso.

  5. CLD ENGENHARIA LTDA ME disse:

    Agora sim, muito bom recurso.

  6. BORIS CASANOVA SOKOLOVICZ disse:

    Recurso bem vindo, aproxima-se do comportamento real.
    Como está a previsão da Interação Solo Estrutura a partir desse novo modelo integrado?

  7. Engº Ronaldo Parisenti disse:

    Boa tarde Boris,
    A intenção do modelo integrado é de fato ir melhorando/refinando o modelo. A interação solo estrutura será mais um passo, porém que ainda não está previsto.

    Na parte de fundações, no momento estão sendo feitas melhoria em blocos e sapatas junto a divisa do terreno.

  8. ELIOMAR MARCOS CACHOEIRA disse:

    Estou ansioso para ver implementado a possibilidade de análise de pilares compostos pelo método da grelha e MEF. Os edifícios estão ficando altos. A limitação das 90 barras para os Pilares e a impossibilidade de analisar pilares paredes de geometria complexa está limitando, e muito, a utilização do Eberick nestes. Inclusive, no ebook, sobre pilares, editado pela ampresa, dá impressão de que esse recurso já existe. Tem previsão de implementação?

  9. Engº Ronaldo Parisenti disse:

    Boa tarde Eliomar,
    Estamos trabalhando na aplicação de elementos finitos, porém ainda sem datas definidas.

  10. JEANCARLO RIBAS disse:

    10 anos esperando essa implementação. Muito bom ver que as melhorias estão avançando mais rapidamente.

  11. JEANCARLO RIBAS disse:

    Alguma previsão para tratamento diferenciado do vigas de transição (simulação do aumento de rigidez)?

    E vigas sujeitas a flexo-compressão e flexo-tração?

    E a integração com o adapt?

    Obrigado

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde JeanCarlos,
      – Viga de transição. Estamos trabalhando nisso (previsão final do 1º semestre deste ano).
      – Vigas sujeitas e flexo-compressão e flexo-tração já existe. Isso será melhor percebido no modelo integrado (no modelo de pórtico isolado, isto poderia estar passando despercebido devido ao conceito de diafragma rígido no pavimento).
      – Integração com Adapt: Neste momento está disponível a exportação do Eberick para Adapt.

  12. ROGER SCAPINI MARQUES disse:

    Isso será vendido como um módulo adicional ou fará parte do pacote padrão?

  13. CICERO THIAGO FIGUEIREDO DE ARAUJO disse:

    Ronaldo, boa tarde!
    Parabéns por mais essa funcionalidade.
    Gostaria de saber se a Altoqi está estudando o uso de ancoragem de armadura de lajes com gancho (atualmente não tem) para contornar o problema de “largura insuficiente do apoio”, que agora surgiu com mais relevância mediante o uso do modelo integrado (captação de esforços axiais nos grelhas de lajes). O único artifício para contornar isso, no momento, é a diminuição da rigidez axial das lajes.
    Outro questionamento: com o modelo integrado, finalmente podemos ter pavimentos sem vigas (apenas capitéis) e com núcleo interno (escada,elevador)? Sempre temos que delimitar as regiões com vigas, pois senão o programa não aplicada devidamente o contorno das lajes.
    Podemos também, com o modelo integrado (e o módulo de maciços em lajes) , unir capitéis?
    Abraços e parabéns!

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Cicero,
      Nesta versão foi feita verificação de ancoragem de lajes, incluindo gancho quando necessário para contornar o problema de “largura insuficiente”. Ainda estamos melhorando os detalhamentos das lajes. De todo modo, se puder enviar o arquivo para análise via suporte explicando a situação de erro também será útil.

      Em relação as limitações impostas de modelagem (capiteis/maciços núcleo interno…), por enquanto não foram removidas – isso ocorre não por questões do modelo de análise (que já funcionariam), mas por questões de dimensionamento e detalhamento que ainda não foram devidamente tratados. De todo modo, são melhorias bem vindas, porém não foram previstas para este primeiro semestre de 2018 (e em análise para o futuro).

Deixe uma resposta