AltoQi

Bloco com pilar excêntrico – Parte 1

Escrito em 20 de abr de 2018 por: , na categoria: Novos recursos, Release 4

Cumprindo uma das diretrizes do projeto Eberick 2018 Next e atendendo a diversas solicitações feitas neste Blog Eberick e no anterior, foi implementado o recurso que permite definir blocos com pilares excêntricos, abrangendo a demanda de projetos que possuem blocos de fundação junto a divisa do terreno.

Figura 1 – Blocos de fundação junto a divisa do terreno

Para poder dimensionar a fundação no Eberick, deverá existir uma viga passando pelo centro de gravidade do bloco e chegando até o pilar, para absorver os esforços provenientes da excentricidade do pilar (a figura acima ilustra uma situação onde o centro do pilar está fora do eixo formado pelas estacas, sendo equilibrado pela viga V1).

Para atender a esta situação, foi criado um novo comando para o lançamento da fundação, em que o usuário já define, ao lançar o elemento, propriedades do bloco como quantidade de estacas e espaçamento.

Figura 2 – Diálogo de lançamento dos blocos de fundação

A partir desta definição, ao contrário das versões anteriores, o elemento de fundação passa a ser representado diretamente no croqui e interage com os demais elementos (antes era posicionado “abaixo” das vigas):

Figura 3 – Representação dos blocos de fundação no croqui

Em relação à análise, as vigas passam a ser conectadas diretamente no bloco. Esta etapa está em desenvolvimento.

Figura 4 – Representação dos blocos no pórtico unifilar através de offset rígido

A próxima etapa deste recurso é fazer uma revisão do dimensionamento da viga, verificando alturas da viga e do bloco (em geral, espera-se uma altura próxima a do bloco, uma vez que se manteve a exigência de bloco rígido). Também deverá ser realizada uma revisão no dimensionamento do trecho da viga interno ao bloco, que incluirá, dentre outras verificações, redimensionar/prolongar suas armaduras até o pilar.

Figura 7 – Detalhamento da viga ligada ao bloco (Figura ilustrativa – recurso em desenvolvimento)

Se você gostou do conteúdo acima leia também

Comentários

40 respostas para “Bloco com pilar excêntrico – Parte 1”

  1. RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

    a-há!

  2. RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

    a-há

  3. ESTEL ENGENHARIA LTDA disse:

    Bacana, mas temos duas perguntas:
    1. Por que a necessidade de uma viga cruzando o centróide do bloco no sentido da excentricidade? Entendemos que se o bloco (ou o conjunto de estacas) tem capacidade para resistir aos momentos fletores, a viga não é necessária.
    2. Como seria o lançamento do bloco rebaixado em relação à viga? Seria necessária a criação de um nível inferior?

    • ROGER SCAPINI MARQUES disse:

      Eu também entendo da mesma maneira: se o conjuto tem capacidade para equilibrar o bloco, a viga não é necessária.

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Estel Engenharia,
      1. Entende-se que há diversas soluções possíveis. Optou-se por exigir a viga pois se entende que isso garante maior segurança a estrutura, especialmente em casos como de um bloco de duas estacas com pilar excêntrico – perpendicular a linha formada pelas estacas- onde a carga excêntrica tenderia a “girar o bloco” (possivelmente existiriam bielas e tirantes para equilibrar esta carga do pilar que nasce excêntrico nesta fundação – as quais precisam estar atendidas). Em geral, estas excentricidades para cargas altas tendem a gerar erros no dimensionamento na fundação (seja do próprio bloco que deveria ser armado de modo diferenciado ou por erros de dimensionamento das estacas). Assim, no momento, optou-se por impor uma viga que deverá ser armada para equilibrar estes esforços (assim que o recurso estiver mais adiantado e for liberado também permitirá melhor avaliação).
      2. Em relação aos blocos rebaixados das vigas, informamos que ainda continua válida a maneira “antiga” de lanças blocos de fundação (pode estar de fato no croqui ou apenas informado como é hoje) – apenas eles interagem de forma diferente conforme escolhido pelo projetista. Logo, há possibilidade de lançar no pavimento corrente (em nível dos demais elementos ou abaixo deles) ou mesmo criar novo pavimento e lançar o bloco neste novo pavimento abaixo para travá-lo ou não, conforme o caso.
      Espero ter ajudado no esclarecimento e permanecemos a disposição.

  4. RAFAEL GUIMARAES disse:

    Que excelente notícia. Parabéns aos moderadores pela ótima implementação. Aguardando ansioso pela liberação.

  5. MARCUS VINICIUS FERREIRA VERGA disse:

    O software vai agregar muito com esta nova implementação, esta na hora realmente desta atualização!

  6. CIRILO DE ALEXANDRIA ALMEIDA JR. disse:

    Finalmente… até sonhei com isso… parabéns!
    Isso é uma das coisas que falta no eberick e que atrapalha nossa vida.
    Vamos ver como vai ficar… vlw

  7. SOARES DE LIMA ENGENHARIA LTDA disse:

    Boa notícia essa. Solicitação antiga que finalmente foi atendida. Parabéns.

  8. TOBIAS LUIZ MARCHIORO TOASSI disse:

    Uma implementação, no mínimo, Interessante. A dimensão do bloco influencia na excentricidade pilar-CG do bloco – e nos esforços atuando na viga. Talvez o dimensionamento desses blocos seja feito de forma iterativa – processa a estrutura, dimensiona o bloco, reprocessa, redimensiona, reprocessa, redimensiona (assim como nas sapatas de divisa), para aí sim partir para o dimensionamento das vigas.
    Creio que um aviso ou erro necessite ser emitido no dimensionamento das vigas, caso a estrutura não seja reprocessada se houverem alterações no dimensionamento dos blocos – novas dimensões dos blocos, novos esforços.
    Imagino que as vigas baldrame atuarão agora como, efetivamente, elementos de travamento das fundações (MF da fundação absorvido pelas vigas, e não MF do pilar de arranque).
    Mas esta implementação, ao meu ver, deve ser uma opção do usuário (caixinha de seleção). Acredito não ser possível a viga absorver momentos fletores quando esta e o bloco estão em níveis diferentes.
    Se essa melhoria passar para as sapatas de divisa (vigas atuando como viga alavanca, não mais somente vigas de equilíbrio), outro golaço da AltoQi.

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Tobias,
      – Isso, a excentricidade influencia a análise, contudo, o tipo de bloco (formato e quantidade de estacas) terá que ser escolhido no momento do lançamento. Assim, não será interativo (há vantagens e desvantagens).
      – As vigas poderão estar conectadas aos blocos ou não – será opção do projetista.
      – Em relação as sapatas, sim, está previsto outro recurso nesta linha para travamento de sapatas na base.

  9. ROGER SCAPINI MARQUES disse:

    Fiquei em dúvida se o pilar poderá assumir outras posições além da extrema. É muito comum precisarmos do recurso de poder locar o pilar em

  10. ROGER SCAPINI MARQUES disse:

    A possibilidade de editar os blocos diretamente no croqui funcionará para os pilares centrados também? Vejo isso como um passo necessário e irretornável para o amadurecimento do Eberick! As estacas devem ser elementos que podemos visualizar e definir com liberdade total no lançamento, para depois fazer as devidas verificações.

    O antiquado modelo do Eberick de definir a quantidade de estacas de forma automatizada ajuda em projetos mais simples, porém em projetos complexos, sempre existe a necessidade de se fazer esse planejamento em planta.

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Roger,
      Sim, o pilar poderá nascer excêntrico ao bloco em qualquer posição. De todo modo, haverá ainda limitações quanto ao posicionamento das estacas no bloco (mas entendido o pedido – acabou não entrando esta solicitação neste primeiro semestre. Será rediscutido para o próximo).

      • RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

        Perguntinha capciosa: o bloco pode ter mais de um pilar nascendo, por exemplo, dois?

        • Engº Ronaldo Parisenti disse:

          Bom dia Renato,
          Neste recurso, não foram incluídas melhorias em fundações com mais de um pilar nascendo (este recurso não afeta o que já existe).

          Nota: Atualmente existe a fundação associada que, em geral, tem objetivo de resolver situações de pilares nascendo próximo. Imagino que busca melhorias neste sentido, isso?

  11. ARMANDO PEREIRA DIAS disse:

    Ótimo, gostei de ver e reforço o questionamento de ESTEL ENGENHARIA LTDA.
    Espero que libere logo e fica faltando a armação das estacas.

  12. ENGEBIZ ENGENHARIA LTDA disse:

    Ótima notícia!
    Creio ser o recurso mais esperado deste next.
    Vamos aguardar o resultado.
    Giles

    • RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

      Eu também creio! Com certeza! Muuuito esperado. E, está ficando do jeitinho que pleiteamos. 🙂 Até que enfim voltaram-se para melhorar o aplicativo carro-chefe da empresa. Está dando um salto de qualidade. É muito bom ver isso, Parabéns a toda equipe. É muito bom ver isso acontecendo!

  13. MARCUS VINICIUS FERREIRA VERGA disse:

    Para quando esta previsto o release?

    Atte.

  14. RODRIGO ROCHA CARVALHO disse:

    muito bom

  15. DAWSON EMERSON BAIAO PESSOA disse:

    Bom dia Micheli, parabéns, ótima melhoria.
    No caso de um pilar com carga abaixo de 20 t na divisa vai ser preciso também uma conjunto triangular de estas ou será que passará pela análise de somente um bloco para uma estaca mas sendo equilibrado por uma viga passando iniciando pelo eixo do pilar.
    E mais, gostaria de sabe de você se há algum estudo da equipe da AltoQi de fechar com estribos nas duas direções de um bloco com 1 estaca só usando armadura minima ou fechar blocos de 2 estacas com estribos fechados na duas direções também.
    E mais, se há estudo para dimensionamento dos vários tipos de estacas em função do spt do terreno.
    Abç a equipe.

  16. ROGERIO LUCIANO MIZIARA GONZALEZ disse:

    PARABÉNS À EQUIPE! Recurso realmente muito esperado e que coloca o programa em outro nível, permitindo cobrir uma gama muito maior e com modelos mais adequados os casos que ocorrem na prática. Ficaremos de olho agora na parte de dimensionamentos de elementos genéricos também, para podermos disfrutar de uma ferramenta praticamente completa.

    • RENATO AURELIO CAPURUÇO COSTA disse:

      [dimensionamento de elementos genéricos] Eu aguardo ansiosamente o dia em que aposentarei o outro aplicativo nacional de estruturas metálicas para poder fazer estruturas híbridas (elementos estruturais aço-concreto dentro de pórticos usuais de edificação) completamente dentro do eberick.

  17. IVAN BUENO disse:

    Ótima implementação que vem de encontro com os desejos e necessidades dos usuários. Faço coro com os comentários e reivindicações dos colegas que aqui se manifestaram. Seria interessante termos total liberdade de lançamento, como já dito pelo Roger, e também que não houvesse a necessidade de lançamento de uma viga passando pelo CG do bloco. De qualquer forma é um avanço importante.
    Aproveitando a ocasião, há o intuito de se separar os recursos de tubulões das configurações de blocos/estacas?
    E o dimensionamento e detalhamento das estacas, está sendo pensado?

  18. JOAQUIM VIANA DA FONSECA NETO disse:

    É uma pena o dimensionamento e o detalhamento de estacas, sim seria super interessante , estou no a torcida com você Ivan.

  19. MATHEUS FERREIRA MARQUES disse:

    Ola, esse recurso já esta disponível? Qual o comando?
    Obrigado

  20. JOAO MARCOS KOSTECZKA disse:

    Parabéns pela implantação deste recurso!

  21. HENRIQUE VITAL DO CARMO FREITAS disse:

    Este recurso permitirá que os pilares fiquem na divisa e as estacas fiquem um pouco afastadas da divisa? por exemplo 50 ou 80 cm para facilitar a execução?

    • Engº Ronaldo Parisenti disse:

      Boa tarde Henrique,
      As limitações quanto a posição das estacas permanecem as mesmas (a estaca fica afastada da extremidade do bloco de acordo com a configuração – cerca de 15cm), ou seja, não atenderá a um afastamento de 50 ou 80cm desejado. Nestes casos, a solução ainda poderá ser recuar o bloco e utilizar viga.

Deixe uma resposta